WordPress Theme

Notícias

18 de Julho de 2017

Descubra 11 mitos e verdades sobre a cachaça


 Ingrediente principal da caipirinha, bebida considerada patrimônio nacional, a cachaça é cheia de curiosidades e mitos em seu entorno. Por ser uma bebida genuinamente brasileira, cheia de aromas e sabores, com o tempo apareceram histórias sobre o produto, algo que demonstra a importância dela para os brasileiros.

Mas será que a sabedoria popular sobre a bebida feita de caldo de cana fermentado e destilado é realmente verdadeira? Para ajudar, o especialista Rafael Araújo, da Cachaçaria Nacional, desvenda alguns mitos e verdades sobre a bebida.

“Minas Gerais é o principal produtor da cachaça artesanal do país, com cerca de 8.466 alambiques e 600 marcas registradas no Ministério da Agricultura. Atualmente, é responsável por 50% da produção do produto artesanal, participando com 240 milhões de litros anuais”, explica.
Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Bebidas – ABRABE – a cachaça tem apresentado crescimento no mercado internacional, sendo o 3ª maior destilado do mundo. A bebida também ocupa posição de destaque no mercado nacional, no qual o volume corresponde a 50% no segmento de destilados. É o segundo maior mercado de bebidas alcoólicas no Brasil, atrás apenas da cerveja, e conta com 40 mil produtores e 4 mil marcas de cachaça.

Em 2013, o setor alcançou faturamento de R$5,95 bilhões, quando foram produzidos 511,54 milhões de litros da bebida, de acordo com o Sistema de Controle da Produção de Bebidas da Receita Federal – SICOBE. Confira abaixo os mitos e verdades sobre a bebida segundo o expert Rafael Araújo:

1 – A cachaça boa é só a amarela
Mito. A cachaça branca, que não possui envelhecimento, é a cachaça pura em sua essência. Funciona como base da amarela. Não há distinção de qualidade entre as duas.

2 – Quanto mais envelhecida, melhor é a cachaça
Mito. O tempo de envelhecimento não determina se a cachaça é melhor ou pior. Geralmente, o maior tempo em barris torna a cachaça mais complexa em suas notas sensoriais. Tudo vai depender do gosto de cada um

3 – Cachaça artesanal é melhor do que a industrial
Semimito. A artesanal tem um cuidado maior em sua produção. O pequeno produtor acompanha todo o processo de destilação para separar a cabeça (primeira porção da destilagem) e a calda (última parte). Esses dois elementos possuem substâncias nocivas à saúde e atrapalham completamente o sabor da bebida. A versão industrial, pelo grande volume produzido, geralmente não consegue fazer essa separação.

4 – Cachaça deve ser bebida em copos transparentes
Verdade. O ideal é que se faça a degustação em copos transparentes para a análise visual da cachaça. Observa-se a viscosidade, oleosidade e pureza.

5 – A cachaça de maior valor tem qualidade superior
Mito. Cada produtor tem os seus custos de produção investindo em garrafas personalizadas e na apresentação como um todo. Isso altera o preço final. Mas a forma e o tempo de envelhecimento podem igualar a de marcas mais baratas. Existem excelentes cachaças com apresentação mais simples que competem com cachaças mais caras. Temos o exemplo de campeãs em concursos mundiais no valor de R$20 a R$35.

6 – A cachaça deve ser tomada em pequenos goles
Verdade. Costuma-se dizer em micros goles, pois ela deve ser degustada devagar, rodando em toda a boca para que se possa sentir o sabor.

Ingrediente principal da caipirinha, bebida considerada patrimônio nacional, a cachaça é cheia de curiosidades e mitos em seu entorno. Por ser uma bebida genuinamente brasileira, cheia de aromas e sabores, com o tempo apareceram histórias sobre o produto, algo que demonstra a importância dela para os brasileiros.

Mas será que a sabedoria popular sobre a bebida feita de caldo de cana fermentado e destilado é realmente verdadeira? Para ajudar, o especialista Rafael Araújo, da Cachaçaria Nacional, desvenda alguns mitos e verdades sobre a bebida.


1/6A tradicional caipirinha é feita com cachaça, açúcar e limão
iStock

2/6A bebida também pode ser feita com outras frutas
iStock

3/6A caipirinha virou um ícone nacional
iStock
PUBLICIDADE

4/6A bebida é armazenada em barris
iStock

5/6A cachaça é o 3º destilado mais consumido no mundo
iStock

6/6A bebida vem em duas cores: branca e amarela
iStock
MAIS SOBRE O ASSUNTO
Nova regra: apenas aguardente do Brasil pode ser chamada de cachaça
Leonardo e Eduardo Costa lançam cachaça inspirada no show “Cabaré”
Cacau, coco e geleia: conheça as apostas para drinks em 2017
“Minas Gerais é o principal produtor da cachaça artesanal do país, com cerca de 8.466 alambiques e 600 marcas registradas no Ministério da Agricultura. Atualmente, é responsável por 50% da produção do produto artesanal, participando com 240 milhões de litros anuais”, explica.
Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Bebidas – ABRABE – a cachaça tem apresentado crescimento no mercado internacional, sendo o 3ª maior destilado do mundo. A bebida também ocupa posição de destaque no mercado nacional, no qual o volume corresponde a 50% no segmento de destilados. É o segundo maior mercado de bebidas alcoólicas no Brasil, atrás apenas da cerveja, e conta com 40 mil produtores e 4 mil marcas de cachaça.

Em 2013, o setor alcançou faturamento de R$5,95 bilhões, quando foram produzidos 511,54 milhões de litros da bebida, de acordo com o Sistema de Controle da Produção de Bebidas da Receita Federal – SICOBE. Confira abaixo os mitos e verdades sobre a bebida segundo o expert Rafael Araújo:


1 – A cachaça boa é só a amarela
Mito. A cachaça branca, que não possui envelhecimento, é a cachaça pura em sua essência. Funciona como base da amarela. Não há distinção de qualidade entre as duas.

2 – Quanto mais envelhecida, melhor é a cachaça
Mito. O tempo de envelhecimento não determina se a cachaça é melhor ou pior. Geralmente, o maior tempo em barris torna a cachaça mais complexa em suas notas sensoriais. Tudo vai depender do gosto de cada um.


3 – Cachaça artesanal é melhor do que a industrial
Semimito. A artesanal tem um cuidado maior em sua produção. O pequeno produtor acompanha todo o processo de destilação para separar a cabeça (primeira porção da destilagem) e a calda (última parte). Esses dois elementos possuem substâncias nocivas à saúde e atrapalham completamente o sabor da bebida. A versão industrial, pelo grande volume produzido, geralmente não consegue fazer essa separação.

4 – Cachaça deve ser bebida em copos transparentes
Verdade. O ideal é que se faça a degustação em copos transparentes para a análise visual da cachaça. Observa-se a viscosidade, oleosidade e pureza.


5 – A cachaça de maior valor tem qualidade superior
Mito. Cada produtor tem os seus custos de produção investindo em garrafas personalizadas e na apresentação como um todo. Isso altera o preço final. Mas a forma e o tempo de envelhecimento podem igualar a de marcas mais baratas. Existem excelentes cachaças com apresentação mais simples que competem com cachaças mais caras. Temos o exemplo de campeãs em concursos mundiais no valor de R$20 a R$35.

6 – A cachaça deve ser tomada em pequenos goles
Verdade. Costuma-se dizer em micros goles, pois ela deve ser degustada devagar, rodando em toda a boca para que se possa sentir o sabor.


7 – Cachaça dá dor de cabeça
Depende. Cachaças mal produzidas podem dar dor de cabeça. É justamente as que não separam as etapas de destilação. A cachaça bem produzida não dá enxaqueca, desde de que apreciada com moderação.

8 – Cachaça abre o apetite
Verdade. A cachaça aumenta apetite pela sua complexidade, pois “abre” as papilas gustativas e as prepara para as refeições.

9 – Cachaça muito forte queima a garganta
Verdade. Quanto maior o teor alcoólico, mais queima. No entanto, depende bastante da forma como se degusta. O ideal é que, antes de engolir, coloque uma pequena quantidade na língua e rode em toda boca misturando com a saliva e depois engula. Para iniciantes, recomenda-se as mais fracas com teor alcoólico de 38% até 40%.

10 – Cachaça tem prazo de validade indeterminado
Verdade. Cachaça possui prazo indeterminado de validade. Guardando em local seco, ao abrigo do sol e muito bem vedado, durará vários anos, talvez décadas.

11 – Cachaça e aguardente são iguais
Mito. Pela legislação, cachaças possuem o teor alcoólico de 38% a 48%. Acima deste grau, considera-se a bebida um aguardente.


Fonte: Metropoles